2018 Brasil – Um olhar sobre a autorregulação – Mídia, telecomunicações, TI, entretenimento

Para imprimir este artigo, tudo que você precisa fazer é se registrar ou fazer login no Mondaq.com.

O CONAR, Conselho Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, iniciou 324 procedimentos éticos em 2018, 71% ao receber reclamações de consumidores, o maior percentual da história, o que mostra a importância da publicidade para o público e também o fato de que as redes sociais o mais fácil para a apresentação de tais reclamações.

Outro dado importante é que 63% de todos os procedimentos referem-se à publicidade digital. Destes anúncios, 38% foram postados em mídias sociais, 34% em sites e o restante em vídeos ou e-mails.

Entre os setores industriais que mais tiveram anúncios questionados perante o CONAR – alimentos, sucos, refrigerantes, medicamentos, cosméticos e serviços de saúde foram os que lideraram as estatísticas.

A questão mais questionada ao longo do ano foi a veracidade.

Quase dois terços das reclamações foram feitas por consumidores da Região Sudeste, onde ficam o Rio de Janeiro e São Paulo e onde estão localizadas a maioria das indústrias, bancos e empresas de telecomunicações. É também a região com maior população do país.

Houve um aumento nas reclamações de jovens consumidores, ou seja, de 25 a 34 anos, e as mulheres foram mais vocais do que os homens nas reclamações no CONAR.

No entanto, o destaque do ano foi a grande quantidade de processos envolvendo influenciadores que não revelaram que suas postagens eram patrocinadas por empresas. A mais famosa cantora pop brasileira, Anitta, por exemplo, teve que mudar sua postagem com sua foto vestindo jeans SAWARY, para incluir, a pedido do CONAR, # ad ou #publi. Apesar de essas isenções de responsabilidade não serem regulamentadas por lei, o CONAR ordenou sua inclusão e isso criou um precedente importante que certamente será utilizado em relação a todos os influenciadores no Brasil a partir de agora.

Entre os influenciadores convocados pelo CONAR para alterar suas publicações estavam celebridades locais como Karina Bacchi, Bruna Marquezini, Emily Araújo, Manu Gavassi e outras.

Essas estatísticas mostram que a publicidade digital se tornou muito importante no Brasil e que o CONAR estará mais atento aos influenciadores a partir de agora.

O conteúdo deste artigo tem como objetivo fornecer um guia geral sobre o assunto. O conselho de especialistas deve ser procurado de acordo com suas circunstâncias específicas.

ARTIGOS POPULARES SOBRE: Mídia Brasileira, Telecomunicações, TI, Entretenimento

Proteção de dados: censo e registro de bancos de dados

Beretta godoy

Em outubro de 2000, a Argentina promulgou sua primeira Lei de Proteção de Dados. Entre outros aspectos relacionados com a protecção de dados pessoais, a Lei de Protecção de Dados previa a obrigatoriedade de registo das bases de dados no âmbito da referida lei num registo a criar.

Aplicativo Globoplay: é grátis

Veirano e advogados associados

Consumidores de São Paulo e Bahia, no Brasil, apresentaram queixas ao CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) …

O futuro dos jogos no Brasil

D. Conselho limitado

A ex-presidente Dilma Rousseff vetou o projeto em 2015 e, até o momento, as apostas esportivas online operam em uma área jurídica cinzenta.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © arturhoje.com.br.
arturhoje.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Artur Hoje