Fãs do futebol brasileiro protestam contra o Bolsonaro | Esportes Futebol alemão e as principais notícias do esporte internacional | DW

Eles são frequentemente definidos por sua oposição um ao outro. Mas o que teria de acontecer para que os fãs de futebol rivais se recuperassem?

No Brasil, um homem como Jair Bolsonaro tem que chegar ao poder. Ou, como diz Rogério Bassetto: “Nosso presidente é um racista homofóbico e todos nós temos que enfrentar esse inimigo da humanidade!”

Bassetto é torcedor de um dos clubes mais famosos do Brasil, o Corinthians, há 40 anos. Ele é fanático por futebol que, aos sete anos, já vestia as cores preto e branco do clube no estádio. Bassetto acredita que o Corinthians o escolheu, e não o contrário.

Torcedores de quatro clubes paulistas se reuniram contra o Bolsonaro

No entanto, ele não se tornou um dos rostos mais reconhecidos no Brasil por seu amor ao futebol, mas porque é o líder dos protestos contra o presidente Bolsonaro. Com isso, conquistou o apoio da torcida de seus arquirrivais Palmeiras, São Paulo e Santos. As ultras dos quatro clubes mais importantes de São Paulo fizeram manifestações contra o líder do país. Até os torcedores dos times da favela estão entre os protestos há semanas. Qual clube você apoia? Não parece importar, o principal é ser contra a direita.

‘Sempre rejeitei o Bolsonaro’, torcedor do Corinthians Rogério Bassetto

“Acabei de ligar para os torcedores que achei que teriam as mesmas visões políticas que eu”, explica o sociólogo, que se considera de extrema esquerda e torcedor apaixonado do PT. Bassetto pode ficar furioso quando fala sobre o golpe contra a ex-presidente Dilma Rousseff, que perdeu o cargo em circunstâncias altamente polêmicas em 2016.

E como a esquerda brasileira parece incapaz de enfrentar o polêmico presidente, os torcedores intervieram. “Muitos sindicalistas e membros do partido estão em silêncio. Eles estão com medo. Em contraste, Bolsonaro personifica poder e energia. Você sempre vê seus apoiadores. Nas ruas.”

Longa tradição de esquerda entre Corinthians e torcida

Agora, o Bolsonaro tem que lidar com milhares de torcedores do Corinthians como Bassetto. Os “Gaviões da Fiel” são os ultras do Corinthians, fundados há 50 anos durante a resistência a uma sangrenta ditadura militar. Por volta dessa época, em 1969, surgiu o lema do clube, que ainda hoje se mantém: “Vencer ou perder, mas sempre com democracia” (“Vencer ou perder, mas sempre democrático”).

Brasilien Sao Paolo |  Torcedor do Corinthians São Paulo, protesto contra gegen Bolsonaro

“É o nosso legado histórico. O Corinthians é um time de gente e não somos torcedores normais. Somos diferentes. Somos inconformistas e não podemos aceitar nenhuma injustiça”, diz Bassetto com orgulho. O jogador mais famoso da história do heptacampeão personifica o DNA do clube dos trabalhadores.

Sócrates, ex-capitão do Brasil, era um pediatra qualificado e marxista, que durante seus tempos de jogador no clube deu vida à chamada “democracia corinthiana”: todos no clube têm voz, do atacante aos astros internacionais.

Entre os fãs estão Luiz Inácio Lula da Silva, que começou como engraxate, mas se tornou sindicalista e depois presidente do país, e o popular herói e tricampeão mundial de Fórmula 1 Ayrton Senna. Desde então, a póstuma Conductor Foundation tem sido uma força para grandes mudanças sociais.

O fracasso de Bolsonaro com a pandemia

É notável o contraste com o homem que, apesar da pandemia do coronavírus e tendo que se colocar em quarentena, continuou a menosprezar os dois milhões de infectados e as 80.000 mortes. Ele também tem que evitar uma 35ª proposta de impeachment.

O lendário jogador Sócrates jogou pelo clube entre 1978 e 1984

O lendário jogador Sócrates jogou pelo clube entre 1978 e 1984

“Um país inteiro está sendo refém do movimento Bolsonaro. Os governantes de hoje são o ódio e a polarização. Mas o povo votou nele, então tem que arcar com as consequências”, disse o torcedor do Corinthians, pouco simpático ao seu caros cidadãos. No entanto, uma coisa é clara para Bassetto: “Vamos levar muito tempo para nos recuperar dos danos que Bolsonaro fez.”

Pacote de ajuda aos necessitados nas favelas

Até então, é hora de não apenas costurar as bandeiras contra o Bolsonaro, mas também ajudar os mais pobres dos pobres. Bassetto e seus aliados “Halcones de los Fieles” já entregaram 4.000 pacotes de socorro às favelas de São Paulo, trazendo pessoas que perderam seus empregos devido à pandemia do coronavírus, camisetas, roupas e meias para vestir. “Estamos motivando outros a ajudarem a fazer o bem”, disse Rogério Bassetto. O serviço social sempre fez parte de ser um membro do “Hawks of the Faithful”.

Na quarta-feira, o Corinthians enfrenta o arquirrival Palmeiras. Bassetto não poderá estar no estádio devido à pandemia, mas isso não é tão importante neste momento. No momento, a oposição está jogando em um campo diferente e se chama Jair Bolsonaro.

Mas é impossível que o torcedor do Corinthians não volte atrás para perseguir o Bolsonaro. “Teremos um novo banner a cada semana”, prometeu Bassetto. “E vamos levar para um lugar onde todos em São Paulo possam ver”.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © arturhoje.com.br.
arturhoje.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Artur Hoje